segunda-feira, 31 de agosto de 2009

Apocalipse - Estudo 6


O Cordeiro Abre os Selos

Ap 6:1 — Vi quando o Cordeiro abriu um dos sete selos...
Esta expressão “Vi” não deve ser separada dos capítulos anteriores que já estudamos. Por exemplo, em 5:1 ou em 5:6, o apóstolo João também diz: – Vi, na mão direita...; ...Então, vi, no meio do trono...
Precisamos salientar esse detalhe, porque João teve uma visão sem interrupções, uma visão completa... E ele vê tudo aquilo dentro da perspectiva da ETERNIDADE.
Reparem que a visão do apóstolo começou quando ele foi arrebatado em espírito ao céu (4:1). Assim, João vê tudo desde a eternidade... Ou seja, aos poucos, vamos percebendo que João teve uma visão grandiosa do final dos tempos, uma visão de todos os acontecimentos dos últimos dias.
Agora, vejam, embora estes acontecimentos possam ser colocados numa ordem cronológica, isto é, embora eles possam ser ordenados na seqüência em que acontecerão..., estes acontecimentos já são o presente na eternidade.
E João vê tudo de uma só vez, embora ele somente seja capaz de descrever esses acontecimentos um de cada vez. É por esse motivo que não podemos separar os capítulos de 4 a 6...
O Livro Selado do qual falamos na semana passada (cap.5) e que estava na mão direita de Deus-pai, passou agora para as mãos do Cordeiro... Isso corresponde, exatamente, à afirmação do próprio Senhor Jesus que, Jo 5:22, diz aos que o perseguem — E o Pai a ninguém julga, mas ao Filho confiou todo julgamento...
Como vimos, também, no estudo anterior, este livro selado não contém nenhum segredo, ou novas revelações, pois ele está escrito por dentro e por fora...
Entretanto, ele está selado com os sete selos, porque ele é, como dissemos, O TESTAMENTO DE DEUS E DO CORDEIRO, ele é a herança de Deus para a sua igreja, para nós.
É, portanto, aquilo que nós herdamos da Cruz do Calvário... e essa herança precisa passar a ter força de lei... Ou seja, os selos precisão ser abertos...
Estes selos significam os juízos que devem vir sobre o mundo, esse mundo que rejeita a Deus, que rejeita ao Senhor Jesus, e que está cada vez mais e mais atolado no pecado...
Agora, portanto, o Cordeiro começa a abrir os selos... A descrição da abertura desses selos mostra que, aqui, nós estamos entrando num novo tempo, numa nova época do Plano de Salvação.
O ser humano viveu várias épocas. Primeiro, uma época sem lei, depois da Queda... Depois, uma época com a lei, a lei que foi dada por Deus a Moisés e que vai até a 1ª Vinda do Senhor Jesus.
Com a vinda do Messias, chegamos à época da graça que continua em vigor até os dias de hoje...
Mas, no momento em que o Cordeiro tomar o livro e abrir o 1º selo, sairemos da era da graça e entraremos numa outra era...
Assim, Ap 6 mostra, exatamente, isso... mostra que a era da graça está encerrada, porque nesse tempo a Igreja do Senhor Jesus já terá sido arrebatada..
Agora, portanto, o Cordeiro começa a dar força de lei à sua herança... E nós, que fazemos parte da Igreja de Cristo, e que, portanto, vencemos com Ele, estaremos no céu e seremos co-herdeiros dessa herança maravilhosa.
Reparem, também, que em contraste com os cap. 4 e 5, onde todos os atos se referem ao que está no céu, no cap. 6, todas as ações são direcionadas para terra, para o nosso planeta...
Com a abertura dos selos, começa, então, um terrível período de juízos sobre a terra. O 7º selo, como veremos mais pra frente, inclui as sete trombetas, e a 7ª trombeta é justamente a última trombeta... e inclui também as sete taças do juízo...
Tudo isso começa, portanto, no cap.5 e vai terminar no cap. 20, com a 2ª Vinda do Senhor... Esse é o Dia do Senhor, o Dia da Volta de Jesus...
O período dos sete selos é, dessa maneira, um período que se encontra entre o Arrebatamento da Igreja e a era do estabelecimento do Reino da Paz, quando o Senhor Jesus voltar...
Vejamos então os selos:
O 1º Selo:
Ap. 6:1-2 — Vi quando o Cordeiro abriu um dos sete selos e ouvi um dos quatro seres viventes dizendo, como se fosse voz de trovão: Vem! 2 Vi, então, e eis um cavalo branco e o seu cavaleiro com um arco; e foi-lhe dada uma coroa; e ele saiu vencendo e para vencer.
Os quatro primeiros selos nos mostram 4 cavaleiros, ou seja, há sempre um homem e um cavalo. Esses quatro cavaleiros que aparecem por ocasião da abertura dos quatro primeiros selos representam:
1- Conquista: O primeiro cavaleiro cavalga um cavalo branco, empunha um arco e se chama "Conquista". Ele representa todo indivíduo que se empenha em conquistar o mundo pela força. Poderia representar Domiciano, Hitler, ou outro conquistador qualquer, como, George W. Bush e outros que ainda vão surgir. Mas, iremos analisar esse cavaleiro mais em profundidade daqui a pouco.
2- Guerra: O segundo cavaleiro, que se chama "Guerra", utiliza um cavalo vermelho. Foi lhe dado "tirar a paz da terra, para que os homens se matassem uns aos outros; também lhe foi dado uma grande espada" (v.4). Inevitavelmente, a guerra é o resultado da ação de conquista.
3- Fome: O terceiro cavaleiro é a "Fome". Ele cavalga um animal preto e na mão, segura uma balança. Uma voz fala em trigo, cevada, azeite e vinho. O simbolismo da balança sugere a escassez de alimento, que tem que ser racionado. Ainda hoje vemos exemplos da maneira pela qual a guerra traz a fome, como é o caso de eventos recentes no Iraque... e em países da África.
4. Morte: O nome do quarto cavaleiro é "Morte". Ele cavalga um animal amarelo, e o Hades, isto é, o inferno o estava seguindo. O sentido é "morte que segue a morte"... porque a morte provoca a morte. Assim, esse 4º cavaleiro completa a obra dos três anteriores.
Entre esses 4 cavaleiros do Apocalipse, o 1º tem uma posição especial. Entre todos, o 1º Cavaleiro, o do cavalo branco, tem sido interpretado pelos estudiosos das mais diversas maneiras.
Alguns, inclusive, quiseram interpretar esse cavaleiro como o próprio Cristo, dizendo que o seu cavalo branco significa a pureza e que ele, como Cristo, — saiu vencendo e para vencer (v.2b).
Essa interpretação é errada pelas seguintes razões:
1. O Senhor Jesus já se revelou como um Cordeiro como tendo sido morto (5:6), como um Cordeiro que abre os selos. Por isso, Ele não pode, ao mesmo tempo, se revelar numa outra figura.
2. Como o Senhor Jesus é o único que é digno de abrir os selos e, quando Ele abre o 1º selo, avança esse cavaleiro do cavalo branco. Logo, Ele mesmo não pode ser o tal cavaleiro...
3. O cavaleiro do cavalo branco está, claramente, subordinado às ordens de Deus. Reparem que, quando o Cordeiro abre o 1º selo, João ouviu — um dos quatro seres viventes dizendo, como se fosse voz de trovão: Vem! (v.1) Isso é uma ordem e essa ordem vem do trono de Deus. Todavia, o Pai confiou todo o julgamento ao Filho, de modo que esse cavaleiro do cavalo branco nunca poderia ser Cristo.
4. Além disso, como vimos mais atrás, a esse cavaleiro do cavalo branco seguem a guerra (cavalo vermelho), a fome (cavalo preto) e a morte (cavalo amarelo)... E nós sabemos que ao Senhor Jesus essas coisas não o seguem... Ao contrário, com Cristo sempre vem a Paz, a Abundância e a Vida.
Fica claro, portanto, que o 1º Cavaleiro do Apocalipse, aquele que cavalga o cavalo branco, é a personagem mais sinistra da humanidade... Falamos, inicialmente, que ele poderia ser Domiciano, Hitler, Sadan Russen ou qualquer outro desses flagelos.
Mas, esse cavaleiro representa, na verdade, o ANTICRISTO. Reparem que ele não é um príncipe por nascimento, porque está dito no v.2 que — ...foi-lhe dada uma coroa...
No livro do Apocalipse, vamos encontrar com freqüência essas imagens duplas, imagens que apresentam um grande contraste entre si.
Assim, o cavaleiro do cavalo branco, o anticristo, é semelhante a Cristo. Ele engana com seu cavalo branco, com sua aparência inofensiva, com sua aparência de vencedor...
Quando o Cordeiro abre o 1º selo no céu, o anticristo aparece imediatamente na terra... e o Senhor Jesus predisse isso em Jo 5:43 – Eu vim em nome de meu Pai, e não me recebeis; se outro vier em seu próprio nome, certamente, o recebereis.
E esse outro está a caminho... Eu creio, inclusive, que ele já está no meio de nós... (Lord Maitreya). E o mundo ira receber esse falso cristo, um homem forte, um super-homem que dominará o mundo e que com ele virá guerra, fome e morte...
(treva e luz X Arrebatamento). Bom para os que forem arrebatados... Nós estaremos lá do céu assistindo a tudo de camarote... Mas, que coisa terrível será para os que ficarem para trás (Deixados para Trás).
É isso que está em Ap. 12:12 – Por isso, festejai, ó céus, e vós, os que neles habitais. Ai da terra e do mar, pois o diabo desceu até vós, cheio de grande cólera, sabendo que pouco tempo lhe resta.
O anticristo é, assim, o 1º juízo dos selos, após o arrebatamento da igreja. Esta começando, portanto, o período da Grande Tribulação...
Nós nos demoramos mais na analise do 1º selo porque esse 1º selo é fundamental... Vejamos os demais
O 2º Selo:
Ap 6:3-4 — Quando abriu o segundo selo, ouvi o segundo ser vivente dizendo: Vem! 4 E saiu outro cavalo, vermelho; e ao seu cavaleiro, foi-lhe dado tirar a paz da terra para que os homens se matassem uns aos outros; também lhe foi dada uma grande espada.
Quando Jesus diz em Mc 13:5-6 – ... Vede que ninguém vos engane. 6 Muitos virão em meu nome, dizendo: Sou eu; e enganarão a muitos. — Jesus está se referindo ao anticristo.
E o v.7 continua — Quando, porém, ouvirdes falar de guerras e rumores de guerras, não vos assusteis; é necessário assim acontecer, mas ainda não é o fim. — Esse é o cavaleiro do cavalo vermelho, a Guerra, como dissemos antes.
Cabe salientar que os selos descrevem o que irá acontecer em linhas gerais. Entretanto, os próximos capítulos vão falar do anticristo e vão falar das guerras terríveis que estão por vir de maneira mais detalhada.
Esse 2º cavaleiro é caracterizado por três coisas:
Primeiro, reparem, o texto diz que — foi-lhe dado tirar a paz da terra — Esse é um anúncio claro das guerras que estão por acontecer...
Segundo, o texto prossegue e diz — que os homens se matassem uns aos outros. Isso já é realidade nos nossos dias...
Os homicídios, os assassinatos, os crimes mais terríveis já começam a acontecer.
Terceiro, a esse cavaleiro do cavalo vermelho o texto diz que — lhe foi dada uma grande espada. Essa é uma referência aos bilhões e bilhões de dólares que cada vez as nações têm gasto em armamento, em armas nucleares, em instrumentos cada vez mais sofisticados para matar. Essa é a grande espada que está sendo preparada agora...
O 3º Selo:
Ap 6:5-6 — Quando abriu o terceiro selo, ouvi o terceiro ser vivente dizendo: Vem! Então, vi, e eis um cavalo preto e o seu cavaleiro com uma balança na mão. 6 E ouvi uma como que voz no meio dos quatro seres viventes dizendo: Uma medida de trigo por um denário; três medidas de cevada por um denário; e não danifiques o azeite e o vinho.
Reparem que a descrição desse 3º cavaleiro diz que ele tem uma balança em suas mãos. Essa balança indica o racionamento dos alimentos que precisam ser medidos e pesados. Isso significa a fome... uma fome que já é, nos dias de hoje, muito grande em todo o mundo.
O texto faz referência a uma escassa medida de trigo por um denário. Conforme podemos ler em Mt 20:2 — E, tendo ajustado com os trabalhadores a um denário por dia, mandou-os para a vinha. — Um denário correspondia, no tempo de João, a um dia inteiro de trabalho de um trabalhador... Esse trabalhador tendo que dar, por uma simples medida trigo, um dia inteiro de seu trabalho, isso significava fome para a sua família...
A fome, que vem matando milhares e milhares de pessoas em todo o mundo nos dias de hoje, talvez seja mais terrível ainda do que a guerra... Lm 4:9 diz assim — Mais felizes foram as vítimas da espada do que as vítimas da fome; porque estas se definham atingidas mortalmente pela falta do produto dos campos.
O texto diz também (v.6b): — não danifiques o azeite e o vinho. — O que significa essa expressão? Reparem que o azeite, ou o óleo, na Bíblia, representa o Espírito Santo. O vinho representa o sangue do Senhor Jesus derramado na cruz do Calvário... Essa é, portanto, uma alusão de que a Igreja do Senhor não sofrerá nenhum mal - não danifiques o azeite e o vinho! — porque a igreja já estará arrebatada quando essas coisas acontecerem.
O 4º Selo:
Ap 6:7-8 — Quando o Cordeiro abriu o quarto selo, ouvi a voz do quarto ser vivente dizendo: Vem! 8 E olhei, e eis um cavalo amarelo e o seu cavaleiro, sendo este chamado Morte; e o Inferno o estava seguindo, e foi-lhes dada autoridade sobre a quarta parte da terra para matar à espada, pela fome, com a mortandade e por meio das feras da terra.
Esse 4º cavaleiro, praticamente, não precisa ser explicado. Ele se estabelece como o grande coveiro do mundo... é o anticristo trazendo morte e destruição. Rm 6:23 nos diz que o salário do pecado é a morte, e esse cavaleiro arrasta atrás de si o inferno, isto é, as suas vítimas, as pessoas que não creram no Senhor Jesus... Estas pessoas são as que ficaram para trás, não foram arrebatadas e vão sofrer todas essas calamidades, as guerras, a fome, as pestes e a morte.
É como está em Mt 24:21 — porque nesse tempo haverá grande tribulação, como desde o princípio do mundo até agora não tem havido e nem haverá jamais.
O 5º Selo:
(AP 6:9-11) — Quando ele abriu o quinto selo, vi, debaixo do altar, as almas daqueles que tinham sido mortos por causa da palavra de Deus e por causa do testemunho que sustentavam. (10) Clamaram em grande voz, dizendo: Até quando, ó Soberano Senhor, santo e verdadeiro, não julgas, nem vingas o nosso sangue dos que habitam sobre a terra? (11) Então, a cada um deles foi dada uma vestidura branca, e lhes disseram que repousassem ainda por pouco tempo, até que também se completasse o número dos seus conservos e seus irmãos que iam ser mortos como igualmente eles foram.
Quando o Cordeiro abre o quinto selo, o simbolismo se modifica. Nos atos anteriores, vimos os meios pelos quais Deus pode exercer seu julgamento e algumas de suas ações.
Aqui, vemos a razão desse julgamento. Debaixo do altar, João vê "as almas dos que foram mortos por causa da palavra de Deus, e por causa do testemunho que deram".
É claro que João se refere, primariamente, aos mártires do período de Domiciano... Todavia, aqui estão os mártires do período da Grande Tribulação.
Vamos explicar isso melhor. Reparem que esses mártires clamam, dizendo em grande voz — Até quando, ó Soberano Senhor, santo e verdadeiro, não julgas, nem vingas o nosso sangue dos que habitam sobre a terra?
Em 1º lugar, por que eles clamam? Essas almas clamam, em contrataste com os arrebatados, porque elas estão sem corpo, sem o corpo glorificado... Reparem que elas estão debaixo do altar. A Igreja de Jesus, ao contrário, está glorificada.
Reparem também que elas dizem — Até quando, ó Soberano Senhor, não julgas, nem vingas o nosso sangue dos que habitam sobre a terra? — À primeira vista isso parece estranho... Parece que essas almas estão clamando por vingança. Mas, não é isso. Esse clamor tem razões profundas:
1. Essas almas vêem como Deus julga o mundo, mas elas mesmas continuam sem justificação... apesar de terem sido as únicas que, durante a Grande Tribulação, aceitaram a Palavra de Deus e receberam a Cristo como Salvador...
2. Essas almas clamam para que a honra e o louvor ao nome de Deus sejam restabelecidos na terra. Reparem que até a forma de tratamento é diferente. Elas gritam: — ó Soberano Senhor, santo e verdadeiro... Em outras palavras, é como se elas estivessem dizendo: — Senhor, não permita que o Teu Santo Nome continue a ser injuriado...
3. Essas almas clamam, também, como dissemos, porque não foram glorificadas. E por que não foram??? Não foram porque elas estão sem o selo do Espírito Santo! Em Ef 1:13 lemos assim: — em quem também vós, depois que ouvistes a palavra da verdade, o evangelho da vossa salvação, tendo nele também crido, fostes selados com o Santo Espírito da promessa;
Todavia, essas almas não receberam o selo porque, no tempo que elas creram, isto é, durante a Grande Tribulação, o Espírito Santo já não estava mais aqui... Mas, o clamor é respondido: — Então, a cada um deles foi dada uma vestidura branca, e lhes disseram que repousassem ainda por pouco tempo, até que também se completasse o número dos seus conservos e seus irmãos que iam ser mortos como igualmente eles foram.
Assim, essas almas devem esperar ainda um pouco, até que seja completado o número dos que ainda serão salvos durante a Grande Tribulação...
A cada mártir é dado uma vestidura branca, símbolo de vitória e pureza, e é dito a eles que tenham paciência. O tempo ainda não está maduro para a retribuição de Deus. No fim, entretanto, o juízo e a vitória de Deus chegarão.
O 6º Selo: O Terremoto, o Fim dos Séculos
(AP 6:12-17) — Vi quando o Cordeiro abriu o sexto selo, e sobreveio grande terremoto. O sol se tornou negro como saco de crina, a lua toda, como sangue, (13) as estrelas do céu caíram pela terra, como a figueira, quando abalada por vento forte, deixa cair os seus figos verdes, (14) e o céu recolheu-se como um pergaminho quando se enrola. Então, todos os montes e ilhas foram movidos do seu lugar. (15) Os reis da terra, os grandes, os comandantes, os ricos, os poderosos e todo escravo e todo livre se esconderam nas cavernas e nos penhascos dos montes (16) e disseram aos montes e aos rochedos: Caí sobre nós e escondei-nos da face daquele que se assenta no trono e da ira do Cordeiro, (17) porque chegou o grande Dia da ira deles; e quem é que pode suster-se?
Reparem que, quando o sexto selo é aberto, João vê, como lemos, uma série de catástrofes. Existem algumas controvérsias sobre o significado dos fenômenos descritos neste trecho...
A dúvida é se eles se referem a catástrofes localizadas, ou se diz respeito a uma antevisão simbólica do juízo final e do fim dos tempos. Seja qual for a interpretação, esta parte do drama simboliza o poder de Deus contra aqueles que rejeitam a Ele e ao seu plano de salvação.
A partir disso, podemos perguntar: O que acontece com os crentes, os que forem convertidos durante essas catástrofes destruidoras? Eles escaparão, ou serão vitimados por elas?
A resposta está no sétimo selo, o qual somente será aberto no capítulo 8. Amém!

7 comentários:

  1. |A paz do senhor pastor gostei muito deste estudo que o nosso Deus continue ti abençoando

    ResponderExcluir
  2. |A paz do senhor pastor gostei muito deste estudo que o nosso Deus continue ti abençoando

    ResponderExcluir
  3. Olá, a Paz!! Estou com uma dúvida quanto á parte das catástrofes que diz que as estrelas cairão na terra e o Céu se enrolará(ou algo assim).Minha dúvida é a seguinte : como pode as estrelas caírem na terra, sendo elas infinitamente maiores que ela ? e quanto ao céu, como pode se enrolar, sendo que a terra é redonda? ..,Agradeço desde já se puder me ajudar .
    Abraço!!

    ResponderExcluir
  4. Esse essa sequência de estudos é maravilhosa e essencial!!! Que Deus abençoe esse pastor e sua família !!!

    ResponderExcluir
  5. Esse essa sequência de estudos é maravilhosa e essencial!!! Que Deus abençoe esse pastor e sua família !!!

    ResponderExcluir
  6. Ótimo estudo sobre o apocalipse 6... parabéns...se me permitir gostaria de deixar mais uma sugestão http://www.revelacoesapocalipse.com.br/apocalipse-6/

    ResponderExcluir