quarta-feira, 22 de abril de 2009

A Razão da Nossa Fé - parte 1


A história, as doutrinas e o governo da Igreja Presbiteriana do Brasil — 65 questões que precisamos saber responder.
1. Como surgiu a Igreja Presbiteriana?
Surgiu da Reforma do Século XVI. Deus levantou um homem chamado João Calvino para conduzir Seu povo de volta à Bíblia. E, desta volta á Bíblia, nasceu a Igreja Presbiteriana.
2. Como se processou a Reforma Religiosa do Século XVI?
A Reforma tem, como data básica de sua origem, o dia 31 de outubro de 1517, dia em que Martinho Lutero afixou as suas 95 teses, contra as indulgências, na porta da capela de Wittenberg, na Alemanha.
Martínho Lutero era um monge agostiniano e pretendia reformar a Igreja à qual pertencia, ou seja, a igreja romana.
Porém, como foi excomungado pelo papa Leão X, viu-se obrigado a romper com a sua igreja, dando, assim, origem ao movimento religioso conhecido como Luteranismo.
Movimentos religiosos independentes surgiram também em outras regiões. Na Suíça, levantou-se Zwinglio, sucedido depois por Calvino.
As Igrejas que adotaram as doutrinas e o sistema Calvinista, denominan-se Igrejas Reformadas, ou Presbiterianas. Da Suíça, o Presbíterianismo se espalhou para os Países Baixos (Bélgica, Holanda), França, Escócia e Inglaterra.
E, a seguir, atingiu todos os Continentes. Hoje, os presbiterianos são o segundo maior grupo evangélico do mundo, perdendo em número apenas para os luteranos.
3. Quem foi João Calvino?
Foi um dos Reformadores do Século XVI. Nasceu em Noyon, Picardia, na França, no dia 10 de julho de 1509. Aos 14 anos de idade, Calvino entrou para a universidade de Paris.
Formou-se em direito na Universidade de Orleans, aos vinte anos de idade. Converteu-se a Cristo em 1533. Calvino foi o mais culto e o mais inteligente entre os reformadores.
Escreveu comentários sobre todos os livros da Bíblia, com exceção do Apocalipse . Escreveu Sermões e Cartas e também tratados.
Sua obra mais importante é A Instituição da Religião Cristã, mais conhecida como As Institutas. Nesta obra ele apresenta um sistema de doutrinas absolutamente bíblicas.
Este sistema de doutrinas é conhecido como Calvinismo.
4. É verdade que a primeira Igreja que surgiu foi a Igreja Católica?
Não, não é verdade. A Igreja do Novo Testamento é chamada de Igreja Primitiva, por ter sido a primeira e não ter nenhum nome especial.
Esta Igreja primitiva não pode ser identificada com a Igreja Católica Romana, por várias razões, como, por exemplo, as seguintes:
1. Os problemas doutrinários e éticos surgidos na Igreja Primitiva eram resolvidos pelo presbitério (At.15.1-29).
2. Na Igreja Católica, são resolvidos pelo papa;
3. Na Igreja Primitiva não havia missa; havia culto com cânticos de hinos, orações, leiturada Bíblia e pregação;
4. Todos os membros da Igreja Primitiva participavam do pão e do vinho, na Santa Ceia (1 Co. 11:23-29);
5. na Igreja Católica só o padre é que participa do vinho, na comunhão.
6. Na Igreja Primitiva não havia padre, nem cardeal, nem papa; havia, SIM, presbíteros e diáconos.
7. Qualquer pessoa que examinar o Novo Testamento, fundamento da Igreja Cristã, verá claramente que a Igreja Católica Romana não tem nenhuma semelhança com a Igreja Primitiva.
5. Como surgiu a Igreja Católica Romana?
Surgiu da degeneração da Igreja Primitiva. Desde o início, homens fraudulentos entraram para a Igreja. No princípio, entretanto, as perseguições contra os cristãos se encarregaram de purificar a comunidade cristã.
No ano 323, por um decreto do imperador Constantino, o Cristianismo passou a ser a religião oficial do Império Romano. Aí, cessaram as perseguições e muitas pessoas, sem serem verdadeiras convertidas, entraram para a Igreja...
A atuação dessas pessoas e a influência do mundo pagão levaram a Igreja a adotar doutrinas e práticas que se chocam brutalmente com os ensinos bíblicos.
Vejamos alguns exemplo: No ano 375 foi instituído o culto aos santos; no ano 431, instituiu-se o culto a Maria a partir do concílio de Éfeso, cidade onde se adorava a grande Diana dos Efesios, divindade feminina pagã;
Em 503, surgiu a doutrina do purgatório; Em 783 foi adotada a adoração de imagens e relíquias; em 1090, inventou-se o rosário; em 1229, foi proibida a leitura da Bíblia.
Existem muitas outras inovações que seria longo demais mencionar aqui. Felizmente, Deus levantou homens para conduzir Seu povo de volta à Bíblia.
Vários movimentos de reforma religiosa, inclusive os propostos pelos Concílios de Constantino, Pisa e Basileia, fracassaram. Porém, a Reforma Religiosa do Século XVI triunfou.
6. Por que Calvino não se uniu a Lutero, ao invés de criar um movimento à parte?
Porque Lutero queria apenas reformar a Igreja, enquanto Calvino entendia que a Igreja estava tão degenerada, que não havia como reformá-la.
Calvino se propôs organizar uma nova Igreja que, na sua doutrina, na sua liturgia e na sua forma de governo, fosse semelhante à Igreja Primitiva.
7. Como o presbiterianismo chegou ao Brasil?
No Século XVI, houve uma tentativa de implantação do presbiterianismo no Brasil, através dos franceses que aqui chegaram em 1557.
A Ceia do Senhor, de acordo o ritual bíblico calvinista, foi celebrada pela primeira vez, na América do Sul, no dia 21 de março de 1557, no Rio de Janeiro (ilha de Villegnon).
Os franceses, no entanto, foram expulsos de nosso país em 1567. Duas outras tentativas foram feitas através dos holandeses, em 1624 e em 1630.
Em 1654, os holandeses foram expulsos do Brasil, e as comunidades presbiterianas que eles haviam implantado no nordeste, desapareceram.
A implantação definitiva do presbiterianismo, no Brasil, aconteceu através do trabalho de missionários, que vieram especialmente para evangelizar os brasileiros.
8. Quem foi o primeiro missionário presbiteriano a vir para o Brasil?
Foi o Rev. Ashbel Green Simonton, que chegou ao Brasil, no Rio de Janeiro, no dia 12 de agosto de 1859. Tinha apenas 26 anos de idade.
Seu ministério durou apenas 8 anos, pois Simonton faleceu em São Paulo, no dia 8 de dezembro de 1867.
A esta altura, a nossa Igreja já tinha um presbitério (Presbitério do Rio de Janeiro), um Seminário, cinco pastores e três Igrejas organizadas (A 1a do Rio de Janeiro, a primeira de São Paulo e a de Brotas, no Estado de São Paulo),
9. Em que estão baseadas as doutrinas da Igreja Presbiteriana?
Estão baseadas na Bíblia, a palavra de Deus. Nossa Igreja não aceita nenhuma doutrina que NÃO tenha base sólida nas escrituras.
Nesse ponto, os presbiterianos seguem o que está em Gl 1.8, 9 — Mas, ainda que nós ou mesmo um anjo vindo do céu vos pregue evangelho que vá além do que vos temos pregado, seja anátema. 9 Assim, como já dissemos, e agora repito, se alguém vos prega evangelho que vá além daquele que recebestes, seja anátema.
10. Quando Simonton Chegou ao Brasil, já havia aqui missionários de outras denominações?
Simonton encontrou, no Rio de Janeiro, o Dr. Robert Reid Kalley, médico escocês, que fazia um trabalho missionário independente. Do trabalho do Dr. Kalley resultou a Igreja Evangélica Fluminense.
Havia também pastores que vieram acompanhando imigrantes europeus. Estes pastores, entretanto, se limitavam a dar assistência espiritual aos imigrantes europeus.
Simonton foi, portanto, o primeiro missionário enviado ao Brasil, com o objetivo de evangelizar os brasileiros. Os missionárias de outras denominações só chegaram bem mais tarde.
11. O Que é uma "doutrina baseada solidamente nas Escrituras Sagradas?"
É uma doutrina baseada na Bíblia toda, ou seja, que compreende todos os livros da Bíblia, do Génese ao Apocalipse. A nossa Igreja não aceita doutrinas baseadas em apenas algumas passagens, ou em textos isolados das Escrituras.
12. Quais são os padrões doutrinários da Igreja Presbiteriana?
Nossa Igreja adota, como exposição das doutrinas bíblicas, a Confissão de Fé de Westminster, e os Catecismos como exposição do sistema de doutrinas ensinadas nas Santas Escrituras.
Isto se faz necessário porque a Bíblia não traz as doutrinas já sistematizadas...
13. Quem elaborou a Confissão de Fé e os Catecismos?
A confissão de Fé e os Catecismos foram elaborados por 151 teólogos de várias Igrejas Evangélicas, reunidos na Abadia de Westminster, em Londres, na Inglaterra, de julho de 1643 a fevereiro de 1649.
Estes livros foram preparados em espírito de oração e profunda submissão ao ensino das Escrituras.
14 O Que é Escritura Sagrada?
É a palavra de Deus expressa em forma escrita. É o livro que nos dá "aquele conhecimento de Deus e de Sua vontade, necessário para a salvação" (2 Tm.3:15,16).
A Bíblia é composta de 66 livros, escritos, por no mínimo, 36 autores, que viveram em tempos e lugares diferentes, num período de 1600 anos. No entanto, o Autor da Bíblia é o próprio Deus, que inspirou os autores.
15. Como podemos saber que a Bíblia foi inspirada por Deus?
Pelo Testemunho de Jesus sobre o Antigo Testamento. Em Mt 22.29 Ele diz — Errais, não conhecendo as Escrituras nem o poder de Deus.
Em Jo 5:39 — Examinais as Escrituras, porque julgais ter nelas a vida eterna, e são elas mesmas que testificam de mim.
Além disso, a própria Bíblia dá testemunho sobre sua natureza. 2 Tm 3.16-17 diz assim — Toda a Escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, para a repreensão, para a correção, para a educação na justiça, a fim de que o homem de Deus seja perfeito e perfeitamente habilitado para toda boa obra.
Agora, a melhor prova de que a Bíblia é inspirada por Deus está na experiência de milhões de pessoas cuja vida foi transformada pela leitura da Escritura.
Outra prova é a nossa própria experiência de sentir Deus falando conosco, quando lemos a Bíblia. Tudo isso é evidência da inspiração divina das Escrituras.
Mas, como esta aceitação é matéria de fé e não de prova científica, só a operação do Espírito Santo em nós é que nos dá a convicção de que a Bíblia é a palavra de Deus.
16. Por que a Bíblia "católica" tem 7 livros a mais do que a "nossa" Bíblia?
Porque o Concílio de Trento, no dia 15 de abril de 1546, anexou, por decreto, esses livros à Bíblia. Nós não aceitamos isso, e a "nossa" Bíblia não tem esses livros porque eles não tem nem as evidências externas nem as evidências internas de que são inspirados por Deus.
A Igreja Católica Romana nos acusa de termos retirado sete livros das Escrituras. No entanto, foi ela que os acrescentou à Bíblia, no concílio de Trento.
7. O Que as Escrituras nos revelam a respeito de Deus?
Que Deus é Espírito. Jo 4.24 diz isso — Deus é espírito; e importa que os seus adoradores o adorem em espírito e em verdade. — Portanto, Deus não tem corpo como nós.
Que Deus é um Ser pessoal, capaz de compreender os nossos sentimentos e conhecer os nossos pensamentos. O Sl103:14 diz — Pois ele conhece a nossa estrutura e sabe que somos pó.
Que Deus é eterno, imutável (Mt 3:6), infinito (1Rs 8.27), e conhece todas as coisas (Sl139.4), vê tudo o que se passa no céu e na terra (Pv l5:3), está presente, ao mesmo tempo, em todos os lugares (Sl 139.7-10), é onipotente (Mt 19.26), nos ama (I Jo.4:8), é cheio de misericórdia (Sl 57:10 e 100:5).
Também que Deus é justíssimo (SI. 119:137) e terrível em Seus juízos (Hb 10.31). O Deus de quem a Bíblia nos fala é um Deus Triuno, isto é, subsiste em três pessoas.
18. O Que é a Santíssima Trindade?
É a coexistência das Três Pessoas na Divindade Única: O Pai, o Filho e o Espírito Santo. 2 Co.13:13 — A graça do Senhor Jesus Cristo, e o amor de Deus, e a comunhão do Espírito Santo sejam com todos vós.
São, portanto, Três Pessoas distintas, da mesma substância, iguais em poder e glória, porém um só Deus. É um mistério que não pode ser explicado, nem definido, porque está além do alcance da mente do homem.
Em Resumo: Ou aceitamos a Trindade do Deus Único, ou temos de admitir três Deuses na Bíblia. A Bíblia, no entanto, nos ensina com muita clareza que existe um só Deus verdadeiro.
O Pai é Deus. Gl 1.1 — Paulo, apóstolo, não da parte de homens, nem por intermédio de homem algum, mas por Jesus Cristo e por Deus Pai, que o ressuscitou dentre os mortos...
O Filho é Deus. Jo 1.1 — No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus.
E o Espírito Santo é Deus. At 5.3-4 — Então, disse Pedro: Ananias, por que encheu Satanás teu coração, para que mentisses ao Espírito Santo, reservando parte do valor do campo? Conservando-o, porventura, não seria teu? E, vendido, não estaria em teu poder? Como, pois, assentaste no coração este desígnio? Não mentiste aos homens, mas a Deus.
19. Como Deus se relaciona com o universo?
Deus criou (Gn 1.1 e Ef.3:9), Deus dirige (Dn 4:35), Deus governa (Jó 34:12-15; Sl 22:28; 103:19), Deus preserva (Ne 9:6).
Deus também tem um plano eterno de ação. Ef 1.11 — nele, digo, no qual fomos também feitos herança, predestinados segundo o propósito daquele que faz todas as coisas conforme o conselho da sua vontade...
Nada acontece sem que Ele tenha ordenado ou permitido (Mt,10:29). Deus não improvisa, nem é surpreendido pelos acontecimentos.
Na Sua infinita sabedoria, Ele dirige tudo segundo Sua própria vontade, sem, contudo, tirar a liberdade do homem, nem violentar a vontade do ser humano.
Amém

2 comentários:

  1. Prezado irmão,
    Realmente,o trabalho dos irmãos presbiterianos na evangelização de nossa pátria foi (e é) de suma importância.Sem espírito de contenda,só queria um esclarecimento: como os irmãos agem com relação ao batismo ifantil? Há os chamados padrinhos e madrinhas que, me parece,é ranço do católicismo romano?
    A tempo: pertenço a uma igreja batista.
    Fraternalmente,em CRISTO JESUS,
    Moysés Magno
    moysesmagno@hotmail.com

    ResponderExcluir
  2. Sou prebiteriano há 4 anos, quando cheguei à igreja já tinha sido batizado (por imersão) em outra igreja e na presbiteriana fiz apenas a Profissão Pública de Fé. Mas todos os batismos quer infantis ou adultos, em nenhum deles há constituição de padrinho e madrinhas; apenas a igreja é testemunha do compromisso cristão e confirmação de que a Bíblia é a nossa única regra de fé e prática (prática infelizmente em muitos casos, esquecida com o passar dos tempos). Não vejo semelhança nenhuma do ato do batismo infantil da presbiteriana com o da igreja católica romana. Muitos alegam que fato de aspergir água e não submergir seja raiz da Igreja Católica Romana. E esquecem que o batismo é um ato simbólico e que verdadeiramente somos batizados pelo Espírito Santo quando o Senhor de forma soberana e misericordiosmante nos escolheu antes da fundação do mundo; nossas obras e atos não contribuem em nada para nossa salvação. Soli Deo Glória.

    ResponderExcluir